sábado, 21 de novembro de 2015

Perdoa...



Eu te escrevo versos de angustia e mágoa

Encharcados do pranto em que me afogo...

Por todos os dias em que não me viste

Por todos os abraços que não me deste

Por todos sorrisos que não te provoquei...

Eu me dilacero e não me perdoo...

E me rasgo o peito, e não te encontro.

Bendigo e aguardo aflita o sono, que,

Fiel amigo, as vezes me brinda com tua presença.

Perdoa. Me perdoa.

Por não conseguir perdoar.

Por não conseguir esquecer.

Marcadores: , , ,

4 Comentários:

Às 22 de novembro de 2015 14:18 , Blogger Rosangela Tremel disse...

Parabéns pela bellísima página.

 
Às 22 de novembro de 2015 17:22 , Blogger Céres Felski disse...

Obrigada, amiga, pelo teu carinho sempre!!! Beijo grande!

 
Às 21 de julho de 2016 20:31 , Blogger Anna Paula Dutra disse...

Ceres, cheguei aqui pelas mãos de Hang e da bela homenagem que vc fez a ele. Li todos os teus posts. São de uma delicadeza emocionante. Parabéns pelo domínio completo das palavras. Leva teus leitores pelas trilhas da emoção com maestria. Uma beleza.

 
Às 28 de julho de 2016 13:16 , Blogger Céres Felski disse...

Muito obrigada, querida! Delicia ler tuas palavras carinhosas! grande beijo!

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial