segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Domingo no jardim...

Como hoje é domingo
Chuvisquei no meu jardim 
Tava tão cansada de tudo 
Tava tão carente de mundo 
Que já nem cabia em mim. 
E como em todo domingo 
Espalhei água e saudade 
Catei sorriso e matinho 
E me encontrei sem idade. 
Tenho chorado aos domingos 
Como quase todo dia... 
E já percebi que são respingos 
De sonhos,
Mascarados de alegria.

Marcadores: , , , , , ,

6 Comentários:

Às 1 de fevereiro de 2016 21:19 , Blogger Evandro disse...

Nossos jardins são espelhos de nossos olhos, portas de nossas almas, os regamos com carinhos, com lágrimas, com suor....os regamos....estão sempre lá....a espera dos nossos olhos...linda poesia.bjo.

 
Às 1 de fevereiro de 2016 22:11 , Blogger Céres Felski disse...

Sim... Espelhos da alma! Regados com lágrimas e adubados com amor! Obrigada, querido! Beijo!

 
Às 2 de fevereiro de 2016 09:14 , Blogger Fernanda Probst disse...

Fiquei arrepiada com a melodia deste poema. Encantador, Céres. E espero que pare de chover nos teus domingos.

Beijo,
Fê.

 
Às 3 de fevereiro de 2016 11:47 , Blogger Tatiana disse...

Lindo, singelo, mas ao mesmo tempo tão profundo... Me vi nele. Teus poemas tocam a alma de tão sinceros que são. Parabéns querida!

 
Às 3 de fevereiro de 2016 12:38 , Blogger Céres Felski disse...

Mafê querida! muito obrigada pelo teu carinho! grande beijo!

 
Às 3 de fevereiro de 2016 12:41 , Blogger Céres Felski disse...

Muito obrigada, querida!!! é uma delicia poder compartilhar os sentimentos!

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial