quarta-feira, 8 de junho de 2016

Gritos na noite...






Sim.As noites tem sido longas.
 E, principalmente frias. A solidão recostada a janela sempre a espreita, pronta para se jogar no travesseiro e arrancar lágrimas.
Ainda choro, sim. Por que não? Ainda tem uma parte minha que acredita em contos de fada e em "felizes para sempre". Recuso-me terminantemente a aceitar que o tempo passe. Eu sou feita de sonhos! E te construí em versos...
Por isso tenho noites infindáveis... em que rolo no abismo insano de palavras perdidas e de sonhos naufragados. E enquanto me afogo nas lágrimas que não verto, ouso me debater frenetica e silente. Porque meu grito é mudo. Porque a minha dor é profunda.
Teu toque ainda está desenhado em minha pele, e ainda te ouço sorrir...
Sonho e divago...
Tenho tantos castelos ainda! Tantas janelas se abrindo sobre o mar infinito de insaciáveis desejos e de nossos murmúrios...
Tenho sonhos. Não me faça acordar.
Hoje não vou levantar.

Marcadores: , , , , , , ,

2 Comentários:

Às 8 de junho de 2016 18:45 , Blogger Lucas de Ávila disse...

O que dizer de um texto com tamanha profundidade.... parabéns!

 
Às 8 de junho de 2016 19:34 , Blogger Céres Felski disse...

;) obrigada!

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial