segunda-feira, 13 de junho de 2016





Talvez você nem lembre mais,  mas eu não consigo esquecer. 
Talvez tudo tenha passado, e eu não seja mais que uma vírgula na sua história... 
E eu nem vi que o ponteiro do relógio girou...
Não ergui meus olhos e não vi o sol se por de novo. 
Não vi quando a lua veio prantear a minha janela, e nem quando o orvalho
 lavou as nossas flores no jardim...
Meus olhos fechados, ensimesmados e torpes. Que só vêem névoa e cinzas... 
Da minha janela aberta para o mar, só me chegam os murmúrios pungentes da areia, 
abraçada e abandonada pelas ondas.
Nada mais.
O silêncio terno e triste.
O vazio que deixaste .
E a minha dor depois que partiste.


Céres Felski

Marcadores: , , , ,

2 Comentários:

Às 14 de junho de 2016 10:00 , Blogger Lucas de Ávila disse...

Sei bem como é virgular por aí...

Saudades...

 
Às 16 de junho de 2016 08:27 , Blogger Céres Felski disse...

Dói, né? Grande beijo!

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial