segunda-feira, 20 de junho de 2016







Tenho pensado na Morte rotineiramente. Talvez seja esta a melhor  maneira de lidar com ela: como uma visitante incômoda mas inevitável. No entanto, confesso que vivo enamorada. Ela me fascina.  Como uma serpente, envolve-me lenta e progressivamente. Me embriaga.
Leio compulsivamente, trabalho, escrevo e... durmo... durmo constantemente. 
Minhas pequenas mortes diárias.
A paz que acredito que resida na Morte.
A Morte que reside em cada verso, em cada pausa de meus olhos cansados.
Tenho pensado muito nela. 
Posso na verdade dizer que é minha grande companheira, que já temos uma relação quase que de cumplicidade. Parceiras de pecados ainda não cometidos. 
Algoz e vítima numa dança alucinada e infinda.
Estocolmo. 
Sim, bailamos sindromicamente em Estocolmo.
Quanto ao resto... o que resta?
Enquanto cortejo a Morte, desfilo hesitante pela Vida.


Céres Felski

Marcadores: , , , , ,

1 Comentários:

Às 1 de agosto de 2016 19:45 , Blogger Tanialis disse...

Ceres ]querida, quero dizer que estive aqui e deixo meu abraço e carinho. beijos, te amo.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial