quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Sobre a Vida



Quando escolhi ter você, 
eu escolhi não me pertencer...
Entre flores e espinhos, escolhi ser a terra.
Te plantar no mundo, te ver germinar...
E, embora sofrendo a cada folha nova,
eu escolhi te adubar.
Tenho orgulho de ver como vergas nos dias de chuva,
e como te inclinas suavemente nos dias de vendaval...
Ao mesmo tempo que buscas o sol,
ofereces sombra a quem precisa.
Fixas tuas raízes firmemente na terra que te abriga,
e projetas teus galhos em direção ao infinito que te espera.
Com o tronco forte e robusto, 
não temes as tempestades
e acolhes e mantens úmida a terra que te acolheu.
Quando escolhi ter você,
eu escolhi ser AMOR.

Marcadores: , , , , , , ,

7 Comentários:

Às 11 de agosto de 2016 15:23 , Blogger Lucas de Ávila disse...

Metáfora poética linda para retratar esse amor entre mãe e filho. Show.

 
Às 11 de agosto de 2016 15:49 , Blogger Céres Felski disse...

Obrigada, querido amigo! Beijo!

 
Às 11 de agosto de 2016 15:49 , Blogger Tanialis disse...

Lindo. Um dos melhores que escreveste. Deus te conserve poeta!

 
Às 11 de agosto de 2016 15:49 , Blogger Tanialis disse...

Lindo. Um dos melhores que escreveste. Deus te conserve poeta!

 
Às 12 de agosto de 2016 15:00 , Blogger Céres Felski disse...

Obrigada, minha irmã! Filhos nos completam e nos inspiram a ser melhor! Beijo!

 
Às 15 de setembro de 2016 12:36 , Blogger Evandro disse...

O infinito se inclina e a vida só observa...Piu belo. ..

 
Às 15 de setembro de 2016 14:21 , Blogger Céres Felski disse...

Gracias, querido! Sim, e a vida passa...

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial