quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Sobre o amanhã...








Tenho me perdido ultimamente
a observar o tempo
O tempo que corre,
que voa.
Que imprime lentamente 
com uma paciência infinita
pequenos sulcos 
em minha pele...
Inexorável
Previsível
As vezes até
Abominável.
Sem cerimônia,
Despe a cor de meus cabelos...
Arranca o brilho 
da pele...
Sem pejo,
tatua no espelho
a idade que não sinto.
Insiste em criar em mim
Um Eu que não reconheço!
Mas, 
obra cruel e irônica,
seduz cada um dos meus passos...
Ri-se de mim!
E choro...
E rio...
Porquanto ainda me apaixono
E  brinco como outrora...
Insisto em permanecer criança!
Se te apetece, 
Desculpa!
Flerto com o tempo
Inconsequente
Enquanto nego
O reflexo 
Da máscara frágil,
Cujo brilho  se espalha...
Eternamente...








Marcadores: , , , , , , , , , ,

2 Comentários:

Às 2 de novembro de 2016 15:56 , Blogger Wlamir Felsky Anjos disse...

Parabéns minha prima, wlamir

 
Às 2 de novembro de 2016 16:15 , Blogger Céres Felski disse...

Obrigada, primo! e parabéns pra vcs também! ansiosa pela chegada da nova priminha!!! beijo

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial