sábado, 22 de julho de 2017

Elas...







                         Naquela noite, ela dormiu feliz. Pela primeira vez em muitos anos, ela adormeceu com um sorriso nos lábios. Os olhos ainda estavam levemente avermelhados, o rosto meio inchado de chorar... Mas foram lágrimas de alegria! Naquela noite, ela dormiu plena. 
                         Foram tantos anos de sonhos, tantas noites de angústia, tantos desejos afogados na memória. Todos os dias ela saía sabendo que faltava uma parte, que a vida tinha algo maior e mais bonito para ela. Ela acumulava seus sonhos na gaveta, escondia sentimentos nos armários, tinha uma mala cheia de lembranças!
                            Mas, naquele dia tudo mudou. Ela encontrou seu pedaço. Ela se descobriu em outro rosto, em outro corpo, em outra história. Viu seus olhos brilharem em outros olhos, a cumplicidade que sorriu tímida e as lágrimas rolaram sem pudor. 
                       Por um instante, o mundo parou. E, em alguns segundos, tudo mudou. Tudo girou, e nada mais pode ficar no mesmo lugar. As gavetas da memória foram reviradas sem piedade, os sentimentos empoeirados saíram do armário primeiro tímidos, depois dançando alucinadamente. Os fantasmas que habitavam debaixo de camadas do verniz social foram dilacerados, definitivamente expulsos.
                          A partir daquele dia, somente flores nas janelas da alma. Sorrisos brincando pelos cômodos do peito, povoando de amor cada pedacinho outrora machucado. Porque naquele dia ela se encontrou com ela mesma, com a criança que ela um dia fora, e descobriu que a vida lhe dava uma nova chance. 
                      Naquele noite, duas almas sorriam felizes e reencontradas. E o sono extasiado de euforia, cedeu espaço para um novo dia. Porque, naquela noite, o mundo delas mudou.

Marcadores: , , , , , , , , ,

2 Comentários:

Às 22 de julho de 2017 17:11 , Blogger Tanialis disse...

Sem palavras.
Cousa linda por traduzir sentimentos assim.
Os primeiros sensiveis registros da historia delas.
Que sejam felizes, sem interferência de outrem.

 
Às 22 de julho de 2017 18:05 , Blogger Céres Felski disse...

Obrigada, irmã! Depous vou postar o poema que a outra mãe fez para as duas! 😘😘😘

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial